Sober: Jessica Camargo

This author has not yet filled in any details.
So far Jessica Camargo has created 62 blog entries.
19 01, 2017

Sugar Daddy dos números

Embora nem sempre o relacionamento Sugar seja nas proporções do de Anna Nicole Smith com o executivo de negócios de petróleo e magnata dos negócios J. Howard Marshall, cuja diferença de idade era de 63 anos, a dinâmica das relações de açúcar é, geralmente, composta por homens ricos, bem-sucedidos e mais velhos com mulheres jovens, atraentes e ambiciosas.

A tradição de nerds da matemática usando suas habilidades para descobrir a probabilidade de se envolverem com garotas sexies é longa e motivo de orgulho para esses rapazes. Até John Nash, um famoso e brilhante matemático norte-americano da universidade de Princeton, usou a teoria dos jogos para descobrir como ele e seus amigos poderiam flertar com as garotas.

Juntando o tema diferença de idade e matemática, John Nash chegou a um cálculo inspirado no 86º aniversário de Hugh Hefner. Essa fórmula é derivada da equação popular desenvolvida para determinar a faixa etária aceitável para relacionamentos tradicionais: 1/2 da sua idade mais 7. Ou: (fa) = 1/2 (ma) + 7. Por exemplo, um homem de 40 anos, deveria se relacionar com mulheres a partir de 27 anos.

Com isso em mente, eles chegaram a uma equação chamada Corolário Hefneriano. Usando a idade de Crystal Harris, esposa de Hefner, e seu patrimônio líquido, foi determinado que ele recebe um “desconto” de 24 anos por ter 43 milhões de dólares.

Então, enquanto pelo cálculo anterior, o milionário da Playboy deveria se relacionar com mulheres de 50 anos, com essa nova fórmula do site, ele pode ter garotas de 26 anos.

Inclusive, a equipe do SugarDaddie.com planeja incorporar essa calculadora em nome de seus Sugar Daddies inscritos, gerando sua própria faixa etária para potenciais Sugar Babies com base no patrimônio líquido individual dos papais. Interessante, não é?

18 01, 2017

Confissões de uma Sugar Baby

Antes de entrar para a universidade, Sara Nagorski, que hoje escreve sobre relacionamento Sugar, havia sido cheerleader no ensino médio e, por isso, não era completamente ingênua quanto aos estereótipos e às dinâmicas sociais dos relacionamentos tradicionais.

Infelizmente, ela também estava familiarizada com a cultura do estupro que acontece em festas de faculdades. Ela havia sido estuprada no último ano do colegial por um cara que “batizou” a bebida dela. Ela não sabia como dizer não e nem sim. Estava de mãos atadas, completamente incapaz de reagir.

Após essa experiência traumática, Sara aprendeu a não beber em festas e passou os quatro anos da vida acadêmica completamente sóbria. Ainda assim, ela sofreu com atos abusivos mais algumas vezes. Homens que forçaram situações constrangedoras e desconfortáveis das quais ela teve que fugir. Até esse ponto, ela tinha decidido que não queria se envolver com ninguém.

Foi quando começou a pós-graduação que Sara mudou seu pensamento. Aos 21 anos, ela começou a trabalhar com um mentor de 37. Um homem inteligente, interessante e atraente. O que inicialmente era apenas uma tutoria, rapidamente se tornou uma amizade e, um belo dia, ele a beijou.

A princípio, Sara estava hesitante de entrar em um relacionamento com um homem mais velho, mas ele era gentil e generoso e ela deixou acontecer. Ela contou para ele sobre seus traumas com outros caras e ele teve paciência para deixá-la se soltar aos poucos. Enquanto ele pagava por tudo que faziam, Sara valorizava muito sua perspectiva sobre a vida e, claro, a sua ajuda com seus estudos. O relacionamento deles era muito mais profundo e mais respeitoso do que qualquer um dos que ela tinha tido.

Aliás, as relações que ela tinha vivido com meninos da sua idade eram absolutamente superficiais e frágeis. Não havia conexão real, nenhuma conversa substancial. A partir do momento que Sara começou a namorar seu primeiro mentor, sabia que jamais voltaria a se relacionar com pessoas inexperientes e imaturas.

Depois que a relação com o seu tutor da pós terminou (amigavelmente), ela continuou namorando homens 10, 20 anos mais velhos. Alguns ela conheceu através de amigos, outros em lugares aleatórios. Sara não se sentia intimidada pela idade deles. Pelo contrário, esse era um dos aspectos que a atraía. Ela adorava o fato de todos terem histórias e experiências de vida tão interessantes.

Sara namorou médicos, advogados, banqueiros, artistas, todos homens fascinantes que bancavam tudo o que ela sempre quis. Ela se sentia segura, bem-cuidada e respeitada. Até o momento, o termo Sugar Baby ainda não existia, mas agora ela sabe que ela era uma. E que seus parceiros eram Sugar Daddies.

Assim, ela resolveu escrever sua história para inspirar jovens garotas a viver o relacionamento Sugar. Mulheres que, como ela, tiveram péssimas experiências com a relação tradicional e que buscam no universo Sugar não apenas dinheiro e melhores condições, como muitos pensam, mas sentimentos e oportunidades que toda pessoa merece e deveria ter.

17 01, 2017

Sugar Baby voa 5000 milhas para primeiro encontro sugar com Daddy

Uma Sugar Baby revelou que voou 5000 milhas para o primeiro encontro com um Sugar Daddy que ela conheceu apenas 14 dias antes – e com quem agora viaja o mundo todo, claro, com ele pagando a conta.

Lauren Levy, 35 anos, natural de Louisiana, nos Estados Unidos, conheceu Hani Alkoot, 40 anos, que mora no país asiático Kuwait, em um site que conecta pessoas interessadas em viver o estilo de vida Sugar.

Sugar Baby voa 5000 milhas para primeiro encontro sugar com Daddy

Depois de apenas duas semanas, o casal decidiu voar para Amsterdã – a meio caminho entre suas respectivas casas – para ver se a conexão que tinham on-line era tão forte na vida real também.

No encontro Sugar, eles confirmaram que a química era mesmo uma realidade e, desde então, têm viajado o mundo juntos, tendo visitado três países em 10 meses.

Hani paga todas as despesas da viagem e, até agora, gastou uma média de 12 mil dólares em cada uma – incluindo hotéis de cinco estrelas, ingressos para shows e restaurantes com estrelas Michelin, em Amsterdã, Dubai e Tailândia.

Antes de conhecer seu Sugar Daddy, Lauren, que trabalha em uma concessionária da Mercedes Benz, estava sozinha há mais de um ano.

Sugar Baby voa 5000 milhas para primeiro encontro sugar com Daddy
Ela disse que estava procurando um homem bem-sucedido, viajado e experiente, mas não o achava em sua cidade. Por isso, resolveu entrar em um site de relacionamento Sugar e encontrou Hari, um executivo do petróleo generoso, inteligente e engraçado. Com a felicidade estampada no rosto, ela tem certeza que não poderia encontrar alguém melhor.

“Eu adoro viajar com Hani, pois ele sempre me faz sentir especial e vamos para os lugares mais incríveis. Nosso próximo destino é o Egito. Com ele, conheço países que sempre sonhei em conhecer e que, talvez, nunca conseguiria visitar. Além disso, ele me dá presentes maravilhosos. É uma vida de sonho”, Lauren conclui.

14 01, 2017

Uma Sugar Baby de 25 mil dólares

Nicole, uma bela e interessante norte-americana, estava em busca de uma maneira de ganhar dinheiro extra quando foi apresentada à ideia do relacionamento Sugar por um amigo. Ela logo se inscreveu em um site de encontros Sugar e, em pouco tempo, se apaixonou por esse universo e tudo o que ele lhe proporciona.

Em 1 ano, ela faturou cerca de 25 milhões de dólares (!). Sim, impressionante, não? Sem dúvidas, Nicole realizou desejos que provavelmente demoraria muito mais tempo para realizar, se é que um dia conseguiria.

Os relacionamentos com os Sugar Daddies têm trazido frutos tão incríveis para ela que, se antes o estilo de vida Sugar era uma renda complementar, hoje, é sua principal fonte orçamentária. Isso porque a mesada que recebe para seus gastos cotidianos é maior do que seu salário como analista de compras, sem falar dos presentes super caros, dos restaurantes maravilhosos que passou a frequentar e das viagens que fez.

Aos 27 anos e há dois como Sugar Baby, Nicole sabe a importância de seguir as regras do relacionamento Sugar, acordadas no início da relação. “Sempre encontre os Sugar Daddies em locais públicos e não tenha vergonha de dizer quais são as suas expectativas, inclusive, financeiras”, ela aconselha.

13 01, 2017

Como é a vida de uma Sugar Baby

Clarice é a moça alta, morena e bem-vestida sentada na mesa reservada daquele restaurante chique e renomado. Poucos minutos depois de esperar, ela sente um toque no ombro. “Você é ainda mais bonita pessoalmente. Sou o Rico”, disse ele com um sorriso sedutor.

O alto executivo de 50 anos era bonitão e conservado. Depois de duas taças de espumante e um carpaccio de salmão, os dois foram ficando mais à vontade e conversaram sobre assuntos diversos e cotidianos, desde a situação do país até viagens que já haviam feito. Inclusive, falaram sobre as expectativas no universo Sugar e o porquê de terem resolvido viver esse tipo de relacionamento.

É claro que a Sugar Baby Clarice já tinha investigado um pouco sobre a vida do Sugar Daddy Ricardo (Rico era o apelido que ele usava) e sabia perfeitamente o que deveria dizer. Além disso, por mais que possa parecer estranho, é importante que os envolvidos na relação Sugar falem logo no início sobre o quanto de açúcar se espera e que estabeleçam as regras.

Ricardo certamente gostou do que viu e do papo da moça porque, quando eles se despediram, ele deu um beijo no rosto dela e colocou discretamente um envelope cheios de notas de R$ 50 na sua bolsa. “É um prazer conhecer você, querida. Seja bem-vinda ao meu mundo”.

Como Clarice se tornou Sugar Baby

Ela conheceu o Rico através da rede social Meu Patrocínio, criada justamente para pessoas que querem viver o estilo Sugar. Lá, existem homens mais velhos e bem-sucedidos, os papais de açúcar, em busca de mulheres jovens, atraentes e interessantes.

Quando Clarice ouviu falar a primeira vez sobre relacionamento Sugar, achava que não era uma boa candidata para ser Sugar Baby. Ela não compreendia bem o motivo das pessoas entrarem nessa vida. Foi criada em uma família de classe média, estudou em boas escolas particulares e em uma universidade federal, fez mestrado, fala inglês, espanhol e francês fluentemente e tem um ótimo emprego.

De fora, ela parecia uma pessoa realizada. Só que, na verdade, Clarice estava sufocando. Tinha bulimia, estava desmotivada e deprimida, arrastada pela rotina. Sentia um vazio enorme e via seus sonhos ambiciosos muito distantes da realização. Meio que por curiosidade e desespero, ela pesquisou na internet “Sugar Baby” e encontrou o site do Meu Patrocínio.

Foi assim que Clarice viu seu caminho se iluminar e seus desejos se realizarem em uma velocidade que jamais acreditou que seria possível. Ela encontrou um mundo de generosos benfeitores dispostos a financiar tudo o que eu precisava. Aquele antigo vazio foi embora. Em 5 anos, viajou para 6 países que sempre quis conhecer, conheceu os melhores restaurantes do estado e ganhou mimos e presentes que dificilmente conseguiria comprar. Dinheiro deixou de ser um problema.

Ela viu no relacionamento Sugar a alternativa perfeita para não casar com uma pessoa qualquer apenas pela imposição da sociedade ou seguir um plano de carreira já estipulado, sem ultrapassar os limites. Clarice gostou da emoção de conquistar os Sugar Daddies, de aprender com eles, de conhecer pessoas influentes, do networking que a relação proporciona e, obviamente, de ter uma condição financeira que demoraria uma vida inteira para conseguir.

Apoio da família

Um belo dia, o pai (real) de Clarice a questionou sobre como ela estava conseguindo tanto dinheiro. Ciente que o trabalho dela não poderia bancar todos os seus atuais luxos, ele e toda a família estavam confusos sobre o fluxo de caixa misterioso da filha. Ele a ensinou a não depender de um marido para obter apoio financeiro e, de certa forma, ela estava seguindo seu conselho.

Clarice simplesmente decidiu contar tudo. Seus pais não ficaram extremamente empolgados ao ouvir seus métodos empreendedores, mas aceitaram as suas escolhas. Depois de ela ter tido depressão e transtorno alimentar, eles se sentiram aliviados em vê-la bem e saudável. “Nós só queremos que você seja feliz”, disse a mãe. A avó é que ficou super entusiasmada. “Por que eu não pensei nisso quando eu tinha a sua idade? Eu tinha pernas lindas”. Risos.

Foi assim que Clarice descobriu que o universo Sugar era o seu lugar. Hoje, ela é uma pessoa muito mais plena, satisfeita e completa. E você? Está esperando o que para também se encontrar? Acesse o Meu Patrocínio, faça seu cadastro e tenha a vida que sempre sonhou.   

12 01, 2017

Treinamento para Sugar Babies

Você tem o que é preciso para ser uma Sugar Baby? O Sugar Baby Summit, encontro anual de um site norte-americano de relacionamento Sugar, realizado em cidades como Los Angeles, Londres e Nova Iorque, foi projetado para ajudá-la a chegar lá. Frequentado por centenas de Sugar Babies do mundo todo, a conferência oferece cursos sobre o estilo de vida Sugar, palestras de pessoas experientes nesse universo e de consultores financeiros.

O encontro é uma espécie de treinamento intensivo para quem já é Sugar Baby e para garotas que querem viver o estilo de vida Sugar. Aulas de comportamento e etiqueta, palestras sobre finanças e o que engloba o mundo de açúcar, muito networking entre Sugar Babies experientes e novatas: você pode aproveitar tudo isso.

Mulheres interessantes, de idades variadas, reunidas em um auditório chique e muito bem decorado, com um DJ tocando batidas que combinavam com os temas. Todas querendo aperfeiçoar seus talentos para ter ainda mais sucesso na relação Sugar ou, simplesmente, aprendendo a ser uma Sugar Baby.

A conferência deixa claro que, embora a aparência seja importante, só beleza não é o suficiente. As mulheres precisam ter conteúdo e saber conversar sobre qualquer assunto com os Sugar Daddies. Sim, para o universo Sugar, inteligência também é fundamental. Uma Sugar Baby que se preze deve se inteirar de assuntos diversos, para manter conversas agradáveis. Além disso, é legal ter senso de humor e saber se divertir, seja qual for o programa proposto pelo papai de açúcar.

Uma das aulas mais interessantes é a que ensina como montar um perfil perfeito, seguida da que fala das regras para um primeiro encontro e, por fim, a de finanças e como negociar com um Sugar Daddy.

Outro aspecto muito falado nesse encontro é a importância da segurança. Um panfleto explicava detalhadamente como se manter segura para não cair nas mãos de Salt Daddies que, infelizmente, existem no universo Sugar.

Se você já é uma Sugar Baby ou quer se tornar uma, vale a pena procurar e se planejar para participar de um desses encontros, ainda internacionais, mas que devem ocorrer em breve também no Brasil. Fique de olho. 😉

11 01, 2017

Encontro Sugar: o desafio de encontrar a roupa ideal

“Como conseguir um Sugar Daddy se eu não tenho roupas bonitas?”. Essa é uma frase muito comum de Sugar Babies novatas que preferem se queixar do que não têm, em vez de se concentrarem no que devem fazer. Mesmo que você não tenha um guarda-roupa recheado de roupas novas ou de grife, ainda assim é possível viver um relacionamento Sugar.

Está preocupada que a sua roupa não se adequa aos locais que o Sugar Daddy pode levá-la? Pare imediatamente de pensar assim. Esses pensamentos são obstáculos que a impedem de entrar para o universo Sugar. Confira nossas dicas sobre o armário de uma Sugar Baby e aproveite.
Vá despida!

Bem, não literalmente, é óbvio. A nudez aqui é no sentido de mostrar quem você é, sem máscaras. Você não precisa estar maquiada a ponto de não ser reconhecida e muito menos criar uma persona para entrar para o estilo de vida Sugar. Regra número 1: seja você mesma.

Olhe para o seu tipo de corpo. Quais são as melhores características dele? Escolha uma área que você tenha orgulho.

Em seguida, olhe para o seu armário e verifique se há roupas que acentuam essa parte do corpo e a fazem se sentir sexy. Pense em roupas que você recebe mais atenção do sexo oposto quando anda pela cidade. Não importa o quão simplista seja, é isso que você deve vestir no primeiro encontro.

Homens não se importam (tanto) com roupas

Em sua maioria, a mente masculina é simples. Quando um homem repara na roupa em que você está vestindo, ele provavelmente está imaginando o que tem por baixo. O Sugar Daddy não vai se importar com a marca que você está usando. As Sugar Babies se importam, é claro. Elas sabem como um vestido de uma grife conhecida cai como uma luva e abraça o corpo, mas também sabem que é necessário viver uma situação de vida doce para ter um desses. Por isso, não há nada de errado em uma roupa comum que valorize suficientemente seu corpo.

De forma geral, o fato de um Sugar Daddy ter acumulado fortuna ao longo dos anos não muda muito seu modo de se vestir. Mesmo que o papai de açúcar seja do tipo que repara a marca, é ok você se vestir com o que tem e deixar que ele invista em seu guarda-roupa, se assim desejar.

Isso não é, de jeito nenhum, uma permissão para você aparecer usando trapos. Algumas Sugar Babies, inacreditavelmente, acham que mostrar para o Sugar Daddy que vivem uma vida miserável vai fazer com que ele lhe dê uma cobertura em uma zona nobre. Essa é uma ilusão estranha e muito, muito fora da realidade. Vá bonita, com algo que lhe cai bem.


Compras para orçamento apertado

Atualmente, existem muitas boas opções para fazer compras, mesmo com pouco dinheiro. Compre duas peças-chave, bonitas e elegantes, e você poderá alterná-las.

Então, aproveite para garimpar algumas peças em outlets ou lojas de departamento. Lembre-se de nunca gastar mais do que seu bolso permite.

Se, no terceiro encontro, você não tiver algo que se adeque ao local, pode, de forma genuína e sincera, dizer ao Sugar Daddy. De preferência, pelo telefone. A mensagem de texto pode ser mal-interpretada.

10 01, 2017

Conheça a Sugar Baby que teve dez Sugar Daddies

Lara, uma estudante de MBA em Marketing de 27 anos, de uma pequena cidade no interior da Irlanda, ficou muito assustada com o custo de vida em Londres, assim que se mudou para estudar.

“Quando me mudei para Londres, fiquei chocada com os preços de tudo. Além disso, eu tinha uma dívida enorme por causa de  empréstimos estudantis. Foi aí que decidi me inscrever em um site exclusivo para relacionamento Sugar“, ela conta.

Inicialmente, ela diz que ficou nervosa com a ideia de conhecer homens mais velhos interessados em investir seu tempo e dinheiro nela. Mas Lara logo viu que não tinha motivos para ter receios e que o universo Sugar era a solução para seus problemas.

O primeiro homem com quem Lara saiu foi um divorciado escocês de quarenta e poucos anos. “Para o meu primeiro encontro, eu usei um vestido pouco decotado, para não mostrar demais e instigar o Sugar Daddy“, ela lembra. Os dois se encontraram para tomar um drinque e ele perguntou se Lara queria jantar mais tarde. Ela respondeu sim de imediato. Era isso ou batatas cozidas em casa.

Para quem não conhece o estilo de vida cheio de açúcar, acha pode ser um caminho fácil para pessoas interesseiras e exploradoras. Lara explica que até existem algumas Sugar Babies e alguns Sugar Daddies assim, mas que se você tiver bons valores e diretrizes, saberá usufruir o melhor da relação, respeitando seus limites.

“Eu, por exemplo, sigo rigidamente as regras. Os encontros são sempre cedo e em lugares públicos”, ela diz. “Não importo quanto dinheiro eles têm, eu só me importo em quão generosos eles são”, completa. O relacionamento Sugar é tão complexo quanto qualquer outro e, segundo Lara, leva tempo e esforço para que dê certo. Precisa de confiança, transparência e companheirismo.

Em termos de presentes, jantares e mimos, Lara conta que, muitas vezes, é só a Sugar Baby fazer um comentário sobre algo que o Sugar Daddy comprará para ela. É claro que, no início da relação, vocês podem conversar sobre as expectativas, inclusive financeiras, e deixar claro o que esperam.

Sobre romance e paixão, ela diz que o que começa como uma relação de conveniência pode, de fato, se tornar algo mais significativo. Depois de ter dez Sugar Daddies, hoje, Lara namora com um de seus papais de açúcar, um diretor financeiro de 36 anos, e está apaixonada. No entanto, alguns fundamentos permaneceram os mesmos.

“Ele me manda dinheiro por mês para cobrir meus pagamentos de empréstimos estudantis, paga meu aluguel e todas as minhas despesas diárias. Ele também pagou uma viagem de um mês para a Tailândia, o Sri Lanka e a Grécia, além do meu curso de formação de professores de yoga”.

7 01, 2017

Por dentro do mundo dos relacionamentos Sugar

César admite que gasta bastante sendo um Sugar Daddy e pagando presentes caros e extravagantes para Sugar Babies em troca de suas companhias.

O consultor de negócios do Rio de Janeiro diz que isso não é nenhum problema e que, finalmente, encontrou um estilo de vida que combina com ele: o relacionamento Sugar.

Em média, César, que tem 43 anos e é solteiro, gasta cerca de 15 mil reais em presentes por mês, para cada Sugar Baby. Generosidade e desapego financeiro devem ser inerentes a quem quer se tornar um papai de açúcar.

Foram colegas mais velhos do trabalho que apresentaram o Meu Patrocínio para ele. Interessado e curioso, rapidamente se cadastrou e encontrou mulheres do jeito que esperava e desejava.

O termo Sugar Daddy não surgiu recentemente. Em 1908, Adolph Spreckels, um herdeiro americano com uma fortuna gigantesca, se casou com uma mulher 24 anos mais nova que o chamada de papai de açúcar. O que é novo, no entanto, é o conceito do relacionamento Sugar: uma relação mutuamente benéfica, com acordos e regras combinados previamente.

Mas o que pode-se obter de tais relacionamentos, além do companheirismo que César citou? “Eu não tenho que ser quem eu não sou”, diz ele. “Eu posso dizer o que eu quero, o que estou procurando, com toda a franqueza do mundo, e isso é libertador”, completa. “A conveniência de ter mulheres lindas e interessantes e não ter expectativas frustradas é o que mais me atraiu”, ele conclui.

6 01, 2017

Relacionamento Sugar ou namoro tradicional?

Ao conhecer o universo Sugar, é comum você questionar e querer descobrir as diferenças entre as relações tradicionais e um relacionamento cheio de açúcar. Embora muita gente ache que existe um abismo entre os dois, a verdade é que eles não são tão diferentes assim.

O que principalmente difere o relacionamento Sugar dos demais é que os envolvidos têm, necessariamente, benefícios mútuos, previamente conversados e combinados. A transparência, a clareza e a honestidade são fundamentais nesse tipo de relação.

Um homem maduro e realizado, um Sugar Daddy, procura uma jovem e atraente mulher, uma Sugar Baby, para investir nos desejos dela, recebendo em troca companhia, frescor, alegria e intensidade em suas vidas já tão bem vividas.

Os que acreditam que o que os distingue é que apenas os namoros clássicos envolvem carinho, amor e companheirismo estão muito enganados. Quem escolhe o estilo de vida Sugar pode perfeitamente encontrar uma pessoa com quem dividir momentos muito especiais, com sentimentos de respeito, confiança e amizade. Aliás, há diversos casos de romances e até casamentos bem-sucedidos.

Uma outra questão vantajosa do relacionamento Sugar é que dificilmente você e seu parceiro cairão na rotina e ficarão acomodados. As Sugar Babies sempre estarão bonitas e bem-cuidadas, enquanto os Sugar Daddies sempre terão um novo restaurante e destinos de viagens diferentes para levá-las, além de todos os mimos super empolgantes.

Se você possui sonhos ambiciosos, gosta de uma vida movimentada, aprecia a franqueza, não suporta mais relações vazias e monótonas, então, o relacionamento Sugar é para você. Está esperando o que para ser feliz?